Conheça o ônibus elétrico do Ceará que é movido a energia solar

300 km de autonomia e 110 KW de potência são características do ônibus elétrico desenvolvido para o transporte de funcionários da EDP

A área de Pesquisa e Desenvolvimento do Complexo Termoelétrico do Pecém, no Ceará, em parceria com a Universidade Estadual Paulista (Unesp), colocou em operação o primeiro ônibus 100% elétrico cearense alimentado por energia solar. Essa foi a primeira fase de um projeto de deslocamento ecológico desenvolvido pelas instituições.

Resultado de um investimento de R$ 4,85 milhões, o veículo tem autonomia de 300 quilômetros e atenderá às demandas diárias de deslocamento de funcionários entre a cidade de São Gonçalo do Amarante e a usina térmica (UTE) da concessionária de energia EDP.

A recarga será realizada próxima a uma estação voltada a veículos elétricos que ganhou 183 placas solares para garantir independência em relação ao restante das instalações. “A EDP tem como objetivo liderar a transição energética no País, e a mobilidade elétrica tem recebido atenção especial da companhia”, afirma Cayo Moraes, gestor-executivo de operação na EDP no Brasil. Desde 2017, a instituição negociou 19 projetos de energia solar com aproximadamente 30 MWp de capacidade contratada.

Detalhes da tecnologia

 

Com chassi da BYD, fabricante chinesa de veículos, painéis solares e baterias recarregáveis e carroceria da Marcopolo, produtora de ônibus, o projeto tem potência de 110 KW, equivalente a 148 CV. Medindo 12,9 metros de comprimento, 2,6 metros de largura externa e 2,48 de largura interna, tem capacidade para 44 passageiros e altura interna de 1,93 metro. Dois motores completam o pacote.

“Com essa autonomia, é possível que operadores façam curtas e médias distâncias com grande desempenho e economia de operação graças à disponibilidade e à economia de carregamento em relação aos similares a combustão”, destaca Marcello Schneider, diretor da divisão de ônibus da BYD. “É uma excelente oportunidade para o mercado de fretamento investir em mobilidade não poluente, o que não só melhora a qualidade do ar nas cidades como também impacta diretamente a saúde da população”, complementa o executivo.

Operado pela Gertaxi, empresa de transportes que realiza fretamentos e aluguel de veículos, o ônibus tem motoristas que foram capacitados pelas companhias envolvidas antes mesmo de o projeto entrar em ação. “A utilização de fontes renováveis e limpas se tornou uma questão crucial. O Brasil, com uma posição geográfica privilegiada em termos de geração de energia solar, vem acompanhando a evolução do uso da energia solar”, afirma a IDP.

Apenas o começo

O lançamento do ônibus solar será seguido da aplicação de filmes fotovoltaicos orgânicos (Organic Photovoltaic — OPV) em seu teto, compostos por células capazes de gerar energia elétrica a partir da luz do Sol. Isso pode ajudar no abastecimento de serviços no interior do veículo, como carregamento de celulares e outros periféricos.

A EDP também instalou um sistema de quatro estações de recarga para uma frota do Grupo Águia Branca, no Espírito Santo, o que exigiu investimento de R$ 6,6 milhões e foi contemplado em chamada pública da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para Mobilidade Elétrica Eficiente via fundo de Pesquisa e Desenvolvimento.

Fonte: Estadão